TV Jaguar

Postado em 31/10/2016 às 15:00:00

compartilhar

Padre Mauro Monteiro - Jubileu de ouro sacerdotal em Jaguaribe sua paróquia durante 40 anos.

Padre Mauro Monteiro - Jubileu de ouro sacerdotal em Jaguaribe sua paróquia durante 40 anos.

"MISSÕES REDENTORISTAS 14 A 24.10.1995. UNIDOS EM CRISTO COM MARIA, PARA VIVER E CRESCER EM COMUNIDADE" lê-se na placa aposta ao pedestal do Cristo Redentor, no patamar da Matriz .

Foi Padre Mauro Monteiro da Silva quem promoveu as SANTAS MISSÕES POPULARES na Paróquia de Jaguaribe, que quase pode ser dita "sua Paróquia" graças aos 40 longos e dedicados anos de seu ministério presbiteral, dando atendimento também à Paróquia de Feiticeiro e, por algum tempo, à antiga Jaguaribara . Seu sucessor, o atual Pároco de Jaguaribe e também Vigário Geral da Diocese, Mons. José Peixoto Alves, na homilia da abertura do SESQUICENTENÁRIO, falando sobre o CENTENÁRIO da Paróquia de Nossa Senhora das Candeias, escreveu: "Eu já residia em Jaguaribe, bem próximo à Matriz e via com meus olhos de 13 anos a mudança física da Igreja bem como a preparação para a festa: as missões populares nas Capelas Mapuá, Feiticeiro, Nova Floresta, Vertentes, Saco dos Frades, Riachão e Mandacaru, bem como na própria Sede Paroquial.

O Congresso Vocacional, a Ordenação sacerdotal do Diácono João Eudes Silveira e a Celebração de encerramento aos 30.11.1963. O mundo Eclesiástico já falava, então, de RENOVAÇÃO DA IGREJA e os temas emergentes eram FAMÍLIA E JUVENTUDE. Era o tempo do Concílio Vaticano II de abertura da Igreja para ouvir o mundo".

"Hoje chegamos ao encontro com Jesus que é o Centro da Vida Cristã na dimensão pessoal, eclesial e
social. Encontro com Jesus Cristo na Comunidade Eclesial: IGREJA COMUNIDADE COM ESTRUTURAS DE COMUNHÃO E PARTICIPAÇÃO. Eles e Elas, LEIGOS MISSIONÁRIOS, continuam semeando a fé na Boa Nova, testemunhado por palavras, gestos e celebrações da esperança com Maria da Luz, da Purificação, das Candeias". "Nestes últimos cinqüenta anos houve a presença de três Párocos: José Edvaldo Moreira de Sousa, Célio Conrado de Sousa e Mauro Monteiro da Silva. Eis os dois mais longevos na história do Sesquicentenário: Padres Pompeu Bezerra Bessa e Mauro Monteiro da Silva".

E Mons. José Peixoto relatou ainda: "No livro Tombo, Padre Mauro anotou algumas visitas de Dom Pompeu Bezerra Bessa, seu ilustre antecessor nesta Paróquia, 3º Bispo de Limoeiro do Norte, desde 01.05.1973. O antigo reboco em pastilha de todo o exterior da Matriz, iniciado pela torre por Padre José Edvaldo Moreira de Sousa, concluído no todo da igreja por Mons. Célio Conrado de Sousa, mas, então, inteiramente esboroado, foi inteiramente recomposto pelo Padre Mauro Monteiro da Silva.

Por último, ele transformou o livro Tombo em demonstrativo financeiro, apenas com as prestações de contas, através das quais se deduz o reparo e a pintura realizados em 1974".

Em belo folheto sobre esta linda celebração jubilar, encontram-se publicados os "lemas escolhidos por Padre Mauro Monteiro da Silva para sua vida eclesiástica" e que muito nos revelam de sua espiritualidade sacerdotal e de sua doação pastoral.

1 – “O Senhor é a porção da minha herança”. - Lema da sua Tonsura de Clérigo.

2 –“Não vim para ser servido, mas para servir”. Lema do seu Diaconato.

3 - “Eis-me aqui, envia-me!” - Lema do seu Presbiterato.

4 - “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque Ele me escolheu para restituir a liberdade aos oprimidos” - Lema do Jubileu de Prata Sacerdotal.

5 – “Como são belos sobre os montes, os pés do mensageiro, que anuncia a paz, que traz a boa notícia, que anuncia a salvação” - Lema das Bodas de Rubi - 40 Anos de Sacerdócio.

6 – “Eis-me aqui, envia-me!” - Lema do Jubileu de Ouro Sacerdotal.

E no mesmo livreto lemos ainda palavras profundas sobre a caminhada missionária do nosso querido jubilando:

"Em seus ensinamentos Jesus é bem claro: Não se busca recompensa daquilo que se faz por amor! A gratuidade no serviço deve ser a marca de quem verdadeiramente busca viver sua fé! O Senhor tem amparado Padre Mauro ao longo de todo este tempo, concedendo-lhe inspiração provinda do Espírito Santo para construir e reconstruir a história, à luz da fé, por onde ele tem passado ao longo dos seus 50 anos de caminhada a serviço do Reino de Deus".

PÁROCO DO SESQUICENTENÁRIOA - 2013.

Como sucessor do colega de Seminário, Monsenhor Célio Conrado de Sousa, Padre Mauro assumiu a Paróquia em 01.03.1973. Na parede externa esquerda da Matriz está aposta uma curta, mas rica memória:
"PERENE MEMÓRIA DO CONGRESSO DAS VOCAÇÕES SACERDOTAIS, COMEMORATIVO DO CENTENÁRIO DA PARÓQUIA DE JAGUARIBE. 1863 - 30/11 - 1963. OFERTA DA PREFEITURA MUNICIPAL. ADMINISTRAÇÃO FRANCISCO N. DIÓGENES" -

Eis a prova fiel do final feliz do dedicadíssimo pastoreio, em longos e operosos 13 anos, do Padre Pompeu Bezerra Bessa, que foi o 3º Bispo diocesano, cujo lema EIS TEU SERVIDOR. bem traduzia seu ministério de Bispo sem brasão e desarmado, "matuto nascido na Lagoa do Meio em Alto Santo", como ele próprio dizia. Foi ele quem praticamente reconstruiu a linda Matriz bicentenária das Candeias. Foi o Padre Pompeu que, em 1963, para o centenário da Paróquia, fez arcadas, colunas, coro e o recuo do altar, disse o sacristão, Francisco Moreira Peixoto do Nascimento.

E registre-se ainda que o Pároco Pompeu era, no nosso coração de seminaristas maiores da diocese de Limoeiro do Norte - CE, na Praínha em Fortaleza-CE, um possível e muito desejável Pastor diocesano. Graças a Deus isso aconteceu cinco anos após a partida para o Céu do inesquecível Dom Aureliano Matos. Foi este 1º Bispo diocesano que, aos 30 de Outubro de 1966, às 08:00h da manhã, na Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres, em Aracati, impôs as mãos na Ordenação Presbíteral do jubilando Mauro Monteiro da Silva, o qual celebrou, às 17:00 horas, sua Missa campal, na Praça da Igreja dos Prazeres. E é justo recordar aqui a verdade da humildade do nosso 1º Pastor diocesano, quando em minha frente, lendo em 1965, com mãos trêmulas, um livro de Frei Baraúna sobre o Concílio, disse-me com voz pausada: "Padre, é isto que deve ser, mas eu não consigo mais acompanhar!".

Importa muito, também, registrar aqui que o nosso jubilando foi o sucessor do primeiro Reitor do clero diocesano, Padre Pompeu Bessa, à frente do Seminário Diocesano Cura D'ars de Limoeiro do Norte, de 1968 a 1970. Esta nomeação foi feita pelo 2º. Bispo, o propulsor da renovação conciliar da Igreja diocesana e, hoje, merecidamente, Dom José Freire Cardeal Falcão, nonagenário em Brasília - DF. E, neste contexto, não poderia eu deixar de lembrar que tive a feliz oportunidade de colaborar intimamente com o jubilando à frente da nossa casa de formação, quando fizemos um esforço hercúleo para salvar uma instituição, como aquela do seminário de menores internados em crise por todo o Brasil. no pós-concílio Vaticano II (1962-1965).

Chegamos a formar uma equipe constituída dos dois padres com os representantes dos cinco grupos de atividades existentes, para cultivar assim uma formação, que fosse aprendizado da liberdade consciente e corresponsável, em vez de socar pessoas em crescimento dentro de uma forma, que seria, então, a FORMAÇÃO com acento circunflexo no primeiro "o". Pois "ninguém educa ninguém, mas alguém se educa com a ajuda de outro alguém".

Conservo ainda em meus arquivos "O CÓDIGO DE PRINCÍPIOS E LEIS" do Seminário elaborado durante todo o ano de 1968 com os dois padres e em grupos pela Comunidade. E, diga-se de passagem que fomos o último Seminário Menor do Ceará a trancar suas portas, que ficaram cerradas por trinta longos anos. Não fora Mons. Pompeu, o então Vigário Geral, saindo pela diocese afora, para amealhar ajuda financeira com o povo, o Seminário teria sido fechado à míngua de recursos econômicos por desinteresse do clero, que era então a favor da cerração das portas daquela casa. Ouvi mais tarde de Dom Falcão que ter-se-ia arrependido de aprovar o fechamento daquele casa. Graças a Deus este fechamento significou a abertura da sementeira de cristãos comprometidos com sua missão de cristãos leigos e consagrados no mundo. Este tipo novo de Seminário é o CENTRO DE TREINAMENTO PASTORAL DIOCESANO.

Mas, graças a Deus e ao nosso ex-aluno e membro da equipe de direção, o último dos formandos do nosso primeiro seminário, José Peixoto Alves, hoje sucessor do Padre Mauro, seu ex-aluno, nossa casa de formação foi reaberta quando ele assumiu a Administração diocesana, por renúncia do nosso Santo Pastor e Profeta Edmilson, que, no próximo dia 07 de novembro, celebrará em Fortaleza seus 50 anos de Bispo, que teve Limoeiro como sua única sede de bispo ordinário até à posse de Dom José Haring. Graças a Deus, nosso 5º Bispo diocesano, não apenas endossou a feliz iniciativa do Administrador diocesano, mas até construiu a moderna casa, que já formou cerca de 20 padres já por ele ordenados nos dezessete anos de seu episcopado.

Sim, foi nosso lúcido e corajoso Vigário Geral, José Peixoto Alves, nosso ex-formando e colaborador, último fruto da primeira sementeira fechada a ser ordenado padre. Como seu antigo formador, só tenho a enaltecer. sua abertura de cabeça e de coração especialmente no caso da substituição parocal do nosso jubilando, fato eloquente e favorável ao nosso próprio jubilando a quem sucedeu. Graças a Deus, o antigo Seminário atualizado reabriu suas portas como CURSO PROPEDÊUTICO para a formação superior, funcionando hoje na COMUNIDADE DOM POMPEU, cuja denominação é mais que justa e merecida e tem à sua frente o jovem Padre Antônio Ronaldo Vieira Nogueira.

PANEGIRISTA - Mons. João Olímpio Castello Branco

 

 

Fonte: Tv Jaguar / Monsenhor João Olímpio Castelo Branco

Comentários 0

Para comentar o internauta precisa está cadastrado e logado.

LOGAR CADASTRAR

“Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.”

Veja também