TV Jaguar

Postado em 18/11/2016 às 15:00:00

compartilhar

50ª - Qüinquagésima Assembleia de Pastoral da Diocese de Limoeiro do Norte

50ª - Qüinquagésima Assembleia de Pastoral da Diocese de Limoeiro do Norte

1º Cinquentenário da nossa busca da unidade em Jesus Cristo na diversidade dos Ministérios na Comunidade Eclesial. "UNIDOS NA MESMA FÉ" na "PALAVRA FEITA CARNE", para "SERVIR EM HUMILDADE" como simples "SERVIDOR", a fim de "DAR AOS POBRES NO CORPO O ALIMENTO FORTE" na ótica do evangelho de Jesus Cristo, a 50ª - Qüinquagésima Assembleia de Pastoral da Diocese de Limoeiro do Norte - CE aconteceu a 11-13.11.16, no seu centro de treinamento pastoral da sede do bispado.

Esta introdução mostra que o "50º ENCONTRO de Planejamento da Pastoral de conjunto" e ORGÂNICA da igreja católica na região jaguaribana foi convocado e presidido pelo 5º bispo Dom José Haring, em continuidade a seus antecessores os Bispos Manuel Edmilson da Cruz (4º 1992-1998), José Freire Falcão (2º - 1967-1972), Pompeu Bezerra Bessa (3º - 1973-1992). Estes pastores diocesanos fizeram avançar o povo de Deus nos caminhos da evangelização iniciada por Dom Aureliano Matos, o 1º pastor episcopal à frente do rebanho católico em sua caminhada eclesial jaguaribana, durante seus 27 primeiros e preciosos passos.

Com a mesma introdução, quis deixar evidente que estes 50 encontros da igreja católica foram uma caminhada conduzida na fidelidade à mesma fé no Senhor Jesus, a cabeça do corpo místico do cristo. Esta é a fé cristã, que faz a unidade na diversidade de católicos bem diferentes em todos os níveis e sentidos, na sua busca de caminhar "juntos como irmãos, membros da igreja, ao encontro do Senhor" até sua segunda vinda gloriosa como juiz dos vivos e dos mortos. Ora, esta busca da unidade na fidelidade da mesma fé cristã ficou felizmente bem acentuada no lema episcopal do 5º pastor, Dom José Haring OFM - "UNIDOS NA MESMA FÉ".

Qual é, porém, a fé religiosa que vem sendo PROPOSTA na busca de RESPOSTA consciente, livre e amorosa, e que vem sendo cultivada dentre nós de maneira conjunta e orgânica há 50 preciosos anos? Com certeza é a crença do povo católico em Nosso Senhor Jesus Cristo, "PALAVRA FETA CARNE". Este é o lema episcopal de Dom Manuel Edmilson da Cruz, que celebrou nesta mesma semana, a 07.11.16, em seu JUBILEU ÁUREO EPISCOPAL, sua fidelidade de pastor do Verbo de Deus que se encarnou. O filho de deus feito homem se fez nosso irmão em sua humanidade, semelhante a nós em tudo, menos no pecado, que é o antigo e sempre renovados orgulho humano e a desobediência das criaturas humanas a seu Criador divino. Pois bem, esta humildade e obediência do bispo "da Cruz" a Deus Pai, a exemplo do humilde Mestre e Senhor Jesus, escravo sofredor pelos irmãos na sua obediência ao Pai, foi seguida por Dom José Freire Falcão em seu lema "SERVIR EM HUMILDADE" e por Dom Pompeu Bezerra Bessa no "EIS TEU SERVIDOR" do seu lema episcopal de 4º bispo. Uma bênção estes dois bispos servidores do povo serem filhos do Vale.

E refiro aqui, por ser justo e exemplar, que Dom Pompeu e Dom Edmilson foram bispos sem brasão de nobreza terrena, pois a nobreza dos dois alcançou síntese existencial em serem fiéis discípulos do Bom Pastor Jesus, que se fez servidor sofredor pelos irmãos, na fidelidade à sua missão de libertador e salvador em nome do DEUS PAI-MÃE-IRMÃO.

Certamente, é também importante definir logo quais foram e quais são esses "fracos de corpo" aos quais Dom Aureliano Matos, veio "dar o alimento forte" segundo seu lema. A questão, porém, é se a fraqueza do povo que ele quis minorar se ligava apenas ao corpo físico das pessoas, na linha do ter as coisas em lugar do ser mais gente! Seu brasão episcopal responde que essa fraqueza não foi apenas na ordem do ter as coisas e, sim, do ser gente com mais vida consciente, livre e amorosa.

A Eucaristia, que é o corpo sacramental do Cristo Jesus, e Maria de Nazaré, a mulher que acreditou no Deus a quem nada é impossível, provaram que o alimento forte, que Dom Aureliano veio oferecer aos fracos, não foram apenas suas históricas obras sociais. O alimento forte e libertador de toda fraqueza humana no corpo, no coração e na consciência foi e continua a ser o próprio Jesus Cristo, nosso irmão maior, filho da virgem Maria, que se fez pão da vida na luta cotidiana das pessoas para alcançar sempre mais e melhor vida já por aqui.

Entrementes, dentro deste contexto evangélico pastoral, quais foram o tema e o lema maiores desta assembleia de cristãos leigos, cristãos consagrados e cristãos ordenados diáconos, padres e bispo mediante os sacramentos do batismo, da crisma, da eucaristia e da ordem? Eis a resposta: fazer discípulos de Jesus Cristo, através da iniciação à vida cristã, na ótica e no percurso catecúmenal, por meio do catecumenato da igreja nascente. Além do tema com seu lema, como foi explicada a palavra "CATECUMENATO" desconhecida da maioria, quanto ao termo e seu significado?

CATECUMENATO É A CATEQUESE DE INICIAÇÃO Á VIDA CRISTÃ, através da fé educada, celebrada e vivenciada em Jesus Cristo. E fique bem acentuada aqui a palavra VIDA CRISTÃ E NÃO apenas RITOS CRISTÃOS. Esta CATEQUESE CATECUMENAL É UM itinerário, percurso ou longa caminhada de fidelidade a Nosso Senhor, tendo como base o Querigma e a Mistagogia. Evangelização querigmática é o primeiro anúncio do evangelho vivo, que leva a pessoa a se converter ao Mestre e Senhor Jesus. E o outro fundamento da catequese catecumenal é a Mistagogia, a experiência da caminhada em comunhão com o Senhor e Irmão Jesus. A catequese catecumenal pode ser entendida melhor mediante a leitura orante do livro da igreja nascente, "OS ATOS DOS APÓSTOLOS". Contudo, a tradição viva e vivenciada dos primeiros discípulos de Jesus Cristo são o QUERIGMA na sabedoria da fé e a MISTAGOGIA da experiência na esperança e na caridade.

Monsenhor João Olímpio Castello Branco

 

 

Fonte: Tv Jaguar

Comentários 0

Para comentar o internauta precisa está cadastrado e logado.

LOGAR CADASTRAR

“Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.”

Veja também