TV Jaguar

Postado em 15/12/2016 às 14:00:00

compartilhar

Historiador relata horrores das grandes secas do Ceará

Historiador relata horrores das grandes secas do Ceará

Na trilha da História desta semana traz músicas de Gonzagão, poesias de Patativa do Assaré e trechos de "O Quinze", de Rachel de Queiroz. O calendário histórico do Ceará marca pelo menos 15 períodos em que a estiagem foi mais severa do que o de costume. 

Milhares de mortes, campos de concentração e canibalismo. Os horrores das grandes secas do Ceará são relatados pelo historiador Cicinato Ferreira na versão completa do Na Trilha da História desta semana.

O pesquisador é autor de 1915: a história dos sertanejos no ano da Seca e A Tragédia dos Mil dias, que trata da seca de 1877 a 79.



O campo de concentração foi criado durante a seca de 1915 - a mesma que inspirou a escritora Rachel de Queiroz a escrever o romance "O Quinze". "Não havia uma prisão em termos clássicos. Ou seja, não havia o impedimento de deslocamento daquela pessoa que estava no campo para outro local. Mas apesar de não serem presos, esses retirantes sofriam com o abandono. Com a excessão de uma visita ou outra de membro da Igreja e de um médico, não havia assistência", detalha Cicinato.

Trilha Sonora

A trilha sonora do programa é formada por músicas que tratam do sofrimento dos brasileiros que convivem com a seca: "Triste Partida" (letra de Patativa do Assaré e interpretação de Luiz Gonzaga); "Vozes da Seca" (composição de Zé Dantas e Luiz Gonzaga); "Súplica Cearense" (composição de Gordurinha e Netinho, na Voz de Luiz Gonzaga e Fagner); "Asa Branca" (música de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira, na interpretação de Luiz Gonzaga e Fagner); e "A Festa da Natureza" (letra de Patativa do Assaré e interpretação de Fagner. Moreira da Silva).

O Quinze

O programa ainda traz trechos dramatizados do romance "O Quinze", o primeiro livro escrito por Rachel de Queiroz, quando nela tinha apenas 19 anos. A história tem como pano de fundo a seca de 1915 e mostra o sofrimento do casal de retirantes Chico Bento e Cordulina, que não veem outra saída senão ir a pé com os filhos para Fortaleza.

Confira aqui os horários do programa completo

Domingo, 23h: Rádio Nacional FM Brasília 96,1 MHz e Rádio Nacional AM Brasília 980 KHz (em rede com a Rádio Nacional da Amazônia 11.780KHz e 6.180KHz).

Domingo, 8h: Rádio Nacional do Rio de Janeiro 1.130KHz.

Sábado, 17h: Rádio MEC AM do Rio de Janeiro 800KHZ

O Na Trilha da História é apresentado pela jornalista Isabela Azevedo. Sugestões para o programa podem ser enviadas para culturaearte@ebc.com.br.

 

 

Fonte: Tv Jaguar / Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Comentários 0

Para comentar o internauta precisa está cadastrado e logado.

LOGAR CADASTRAR

“Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.”

Veja também