TV Jaguar

Postado em 10/04/2017 às 16:50:00

compartilhar

Solidariedade da Diocese de Limoeiro do Norte ao acampamento Zé Maria do Tomé

Solidariedade da Diocese de Limoeiro do Norte ao acampamento Zé Maria do Tomé

Ai daqueles que fazem decretos iníquos
e daqueles que escrevem apressadamente sentenças de opressão
para negar a justiça ao fraco e fraudar o direito dos pobres (Is 10, 1-2)

No dia 05 de maio de 2014 centenas de famílias da Chapada do Apodi, organizadas pelo Movimento dos Sem Terra e com apoio da Diocese e de várias entidades e organizações sociais, ocuparam uma área do perímetro irrigado Jaguaribe Apodi. Uma área que pertence ao DNOCS. São famílias que lutam por terra e água para trabalhar, sustentar seus filhos e ter uma vida digna.

Foi bonito ver a resistência, a organização e a criatividade dessas famílias. Construíram barracas de lona, casas de alvenaria, organizaram a vida no assentamento, resistiram às ameaças de despejo, receberam apoio de muitas comunidades, paróquias e organizações sociais, começaram a produzir alimentos para consumo próprio e comercialização e abriram um processo de negociação com o Estado para obterem a concessão de uso da área. Uma luta árdua, mas que está produzindo muitos frutos.
Nossa Diocese desse o início apoiou essa luta. E fez isso por fidelidade ao Evangelho de Jesus Cristo que veio para que todos tenham vida e a tenham em abundância (Jo 10, 10). Eu mesmo visitei algumas vezes o Acampamento e conversei com as famílias. E na assembleia diocesana de pastoral de 2014 fizemos uma celebração muita bonita no acampamento com participação de todas as paróquias.
Mas uma decisão do Juiz Federal da 15ª Vara, subseção de Limoeiro do Norte, Sr. Bernardo Lima Vasconcelos Carneiro, ameaça a vida e o futuro dessas famílias. Ele determinou que as famílias devem deixar a área ocupada no prazo de 30 dias, contados a partir do dia 06 de abril, sob pena de multa diária de mil reais, além do cumprimento forçado da desocupação.

Essa decisão do Juiz causa tristeza e surpresa, pois além de negar o direito a terra e a água, interrompe o processo de regulamentação da concessão de uso da terra em favor das famílias e pode causar ainda mais violência e sofrimento para elas.
Manifestamos nossa solidariedade e nosso apoio ao Acampamento Zé Maria do Tomé. Convidamos os cristãos e todas as pessoas a se unirem às famílias acampadas para fortalecer sua luta, garantir sua resistência e impedir qualquer tipo de violência contra elas. Apelamos ao Sr Juiz para rever essa decisão injusta e não impedir que essas famílias possam viver com dignidade.
Celebrando o mistério da paixão, morte e ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo, imploramos que não se continue a crucificar os filhos de Deus neste mundo.


Dom José Haring,
Bispo Diocesano de Limoeiro do Norte

 

 

Fonte: Tv Jaguar

Comentários 0

Para comentar o internauta precisa está cadastrado e logado.

LOGAR CADASTRAR

“Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.”

Veja também