TV Jaguar

Postado em 29/06/2017 às 16:00:00

compartilhar

Morada Nova precisa ser vista com um todo pelos vereadores

Morada Nova precisa ser vista com um todo pelos vereadores

A transparência da gestão de Wanderley Nogueira (PT/CE) a frente da Prefeitura Municipal de Morada Nova indica que os tempos são outros. Se ainda não foi criado um método mais eficiente de prestação de contas (accountability), ao menos as informações sobre o que se faz na administração municipal chegam mais rapidamente ao povo moradanovense.

No entanto, o prefeito ainda ajusta as contas públicas sem previsão de como será sua estratégia para colocar Morada Nova no mapa do desenvolvimento econômico. No momento, seu governo parece tímido para os desafios que se colocam.

A atuação dos vereadores, em pouco mais de 20 sessões ordinárias neste ano, também tem sido bastante tímida. A produção legislativa não consta de bons projetos ou mesmo algo diferenciado que possa trazer benefícios a médio ou longo prazo para a população.

Mais do que isso, podemos dizer que as medidas tomadas principalmente em forma de requerimentos pouco afetam a curto prazo se considerarmos que os custos dos pedidos são divididos, mas os benefícios são parciais¹.

Não é uma crítica isolada aos vereadores de Morada Nova. No mundo todo isso tem acontecido de maneira bastante clara. Na literatura científica é o que se chama de “pork barrel spending”, termo em inglês que significa, num contexto histórico, a estratégia de gastos financeiros, por parte dos políticos, que visa beneficiar determinados grupos, ou seja, justamente aqueles que elegeram esses políticos.

É o clássico retorno político que faz, por exemplo, um vereador para justificar os votos da sua base eleitoral. Esse método de atuação parlamentar, que abrange o chamado “advertising” (busca de vincular a imagem política ao desenvolvimento específico de determinada região), não é errado em si. Embora as críticas no campo da Ciência Política sejam enormes, notemos que a objetividade desse tipo de político pode servir para várias pessoas, o que não é condenável.

O problema reside em focar nessa perspectiva e não olhar a cidade como um todo. Os distritos, os bairros, as ideologias, a própria complexidade de fatores, fazem parte do dia-a-dia de qualquer cidade. Não é justo que cada vereador só atinja uma pequena parcela da população.

Os representantes do sistema eleitoral proporcional são legítimas vozes do povo, na mais desenvolvida democracia em seu modo de ação indireta². Cabe a eles a ideia de que o ponto central da vereança é, antes de mais nada, promover deliberações no sentido de tornar o convívio social o melhor possível, além de fiscalizar o andamento do Poder Executivo, sempre com aproximação junto à Sociedade para ter convicção das demandas reais.

A moderna noção de cidadania traz consigo a aceitação de um modelo social que existe através da correlação de forças, ou seja, interesses diversos em jogo se conflitando o tempo inteiro³. Sendo assim, os vereadores não devem ser neutros, apenas precisam constituir intervenções em prol da cidade como um todo.

NOTAS BIBLIOGRÁFICAS

¹ Comparative Pork Barrel Politics: Perceptions from the West German Bundestag, dos autores Lancaster e Patterson.

² Strong Democracy: Participatory Politics for a New Age Berkeley, do autor Benjamin Barber.

³ Democracy, accountability and representation, dos autores Adam Przeworki, Susan Stokes e Bernard Manin.

Valter Guerreiro – Cidadão de Morada Nova.

 

 

Fonte: Tv Jaguar

Comentários 0

Para comentar o internauta precisa está cadastrado e logado.

LOGAR CADASTRAR

“Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.”

Veja também