TV Jaguar

Postado em 10/08/2016 às 10:00:00

compartilhar

Filho de Iracema aluno do IFCE-Limoeiro cria polpa de frutas antiviral e vence concurso em Nova York

Filho de Iracema aluno do IFCE-Limoeiro cria polpa de frutas antiviral e vence concurso em Nova York
Estudante garantiu prêmio em Nova York (FOTO: Divulgação)

Natural de Iracema, no interior do Ceará, Helyson Lucas Bezerra, de 20 anos, foi aluno do curso técnico em Meio Ambiente do campus de Limoeiro do Norte do IFCE. Mas o esforço o levou para outros patamares. Ele conquistou a medalha de ouro na Genius Olympiad, em Nova York, nos Estados Unidos. 

A competição é uma das mais renomadas do mundo que apresenta projetos de estudantes do ensino médio sobre questões ambientais. Helyson conseguiu unir conhecimento científico e popular para desenvolver, ainda em 2013, o projeto “Ação sinergética de antiviral natural”.

Com a mistura de acerola, caju, goiaba e óleo de romã, ele preparou o que denomina de polpa, que se mostrou um poderoso antiviral a base apenas de frutas.

A orientadora Renata Chastinet conta que foram realizados testes em pessoas que tomaram o medicamento natural e em outras em quem foi ministrado remédio industrializado.

Aquelas pessoas que tomaram a polpa tiveram melhora no sistema imunológico, com aumento de leucócitos, redução de sintomas e destruição mais rápida do vírus. Para Helyson, a descoberta oferece um produto natural, eficaz e barato, podendo atender grande parcela da população.

Efeito estufa

Helyson não foi o único cearense a se destacar na Genius Olympiad 2016. A estudante Adriana Mendes, 20 anos, que cursa Agronomia no IFCE de Limoeiro e Técnico em Administração na Escola Normal, no mesmo município, teve seu trabalho certificado pela comissão julgadora da competição. Sua pesquisa, orientada pelas professoras Renata Chastinet e Keline Albuquerque, com coorientação da também docente Karlucy Farias, utiliza simulação em laboratório para analisar o comportamento das plantas sob a ação do efeito estufa nos próximos dez anos.

Na análise, foram utilizadas plantas de moringa, conhecida pela sua alta resistência a diferentes condições climáticas e pela sua capacidade de servir para alimentação tanto humana quanto animal. Como o impacto com a moringa foi alto num cenário simulado, diante do efeito estufa, o próximo passo é tentar desenvolver, com melhoramento genético, uma planta com mais capacidade de suportar e absorver a incidência de CO2.

 

 

Fonte: Tv Jaguar

Comentários 0

Para comentar o internauta precisa está cadastrado e logado.

LOGAR CADASTRAR

“Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.”

Veja também