TV Jaguar

Postado em 13/11/2017 às 05:00:00

compartilhar

Ererê está entre os dez menores “Índice de Desenvolvimento Municipal (IDM) Ceará/2016”

Ererê está entre os dez menores “Índice de Desenvolvimento Municipal (IDM) Ceará/2016”

Já Eusébio e Fortaleza ocupam as duas primeiras posições do “Índice de Desenvolvimento Municipal (IDM) Ceará/2016”, que acaba de ser publicado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), órgão vinculado à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag). Com IDM de 76,71 e 71,82, respectivamente, os dois municípios são únicos a compor a “classe 1” do Índice (com média de 74,27), sendo as duas referências no Estado. Juntos, eles possuíam mais de 2,6 milhões de habitantes, o equivalente a 29,69 por cento da população cearense. Além deles, São Gonçalo do Amarante, Horizonte, Aquiraz, Maracanaú, Paracuru, Sobral, Barbalha e Paraipaba completam a lista dos dez municípios melhores posicionados.

Já os dez com os menores índices são: Catarina, Potengi, Ererê, Aiuaba, Saboeiro, Umari, Arneiroz, Ibaretama, Baixio e Pires Ferreira. O levantamento traduz, de forma consolidada, a situação dos 184 municípios cearenses, segundo trinta indicadores analisados em quatro grupos: fisiográficos, fundiários e agrícolas; demográficos e econômicos; sociais; e de infraestrutura de apoio. O IDM é amplamente utilizado como um instrumento para diagnósticos e referência para a proposição e orientação de políticas públicas, de acordo com Cláudio André Gondim Nogueira, diretor de Estudos de Gestão Pública do Ipece.

O trabalho, coordenado por Cláudio André e que contou com uma equipe formada por Aprígio Botelho Lócio, Jimmy Lima de Oliveira, Fátima Juvenal de Souza e Cleyber Nascimento de Medeiros, todos do Ipece, foi lançado, no final da manhã desta sexta-feira (10). O lançamento aconteceu durante a palestra de encerramento do XIII Encontro Economia do Ceará em Debate, realizada no auditório da Seplag, que teve como tema “Índice de Desenvolvimento Municipal (IDM/2016): uma Importante Ferramenta para uma Gestão Pública Inteligente”. Pelo estudo, quatro municípios, representando 4,62 por cento da população do Ceará, tinham valores do IDM entre 59,19 a 66,46, com uma média de 62,53, integrando a “classe 2”: Gonçalo do Amarante, Horizonte, Aquiraz e Maracanaú. O documento completo, com 99 páginas, já pode ser acessado no www.ipece.ce.gov.br.

Na “classe 3” foram classificados 52 municípios, representando 36,78 por cento da população cearense, com índice média de 36,85 e com uma amplitude variando de 29,44 a 48,19. Os cinco municípios melhor classificados nesta classe foram Paracuru, Sobral, Barbalha, Paraipaba e Itaitinga. A “classe quatro” englobou os 126 municípios com os menores índices de desenvolvimento, onde residem 28,91 por cento da população, com índices municipais que variaram no intervalo de 9,17 a 28,77 com uma média de 21,60. Os cinco municípios melhores classificados foram Jaguaribe, Itaiçaba, Granja, Chorozinho e Tauá.

O diretor Geral do Ipece, professor Flávio Ataliba, observa que o desenvolvimento econômico constitui o principal objetivo de qualquer governante, seja de país, estado ou município, mas que é importante considerar que este é um conceito dinâmico, que vem se adaptando ao longo do tempo, principalmente nas últimas décadas. No caso, o desenvolvimento econômico deixou de ser representado pelo simples crescimento da renda per capita e passou a contemplar ambições por avanços em outras dimensões. Assim – frisa – é possível perceber que a elevação da renda per capita não conduz, necessariamente, a uma melhor distribuição dos rendimentos, não significa melhor acesso aos serviços de educação e saúde, e nem mesmo representa ganhos de produtividade, que deveria ser sua causa mais direta.

Para Ataliba, o desenvolvimento econômico passou a significar uma melhoria nas condições de vida das pessoas em diversos aspectos, transformando-se na busca pela melhoria do bem-estar da população. Como consequência disso, “as medidas de desenvolvimento econômico tiveram que incorporar outros aspectos e, portanto, se tornaram multidimensionais. Ciente da importância desse indicador para o Estado do Ceará, o Ipece elabora o IDM com o objetivo de disseminar informações relevantes para a política de desenvolvimento do Estado do Ceará” – conclui.

 

 

Fonte: Tv Jaguar / ceara.gov.br

Comentários 0

Para comentar o internauta precisa está cadastrado e logado.

LOGAR CADASTRAR

“Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.”

Veja também