TV Jaguar

Postado em 19/12/2017 às 17:00:00

compartilhar

Apenas 8,9% das delegacias do Ceará têm quantidade suficiente de servidores, diz estudo.

Apenas 8,9% das delegacias do Ceará têm quantidade suficiente de servidores, diz estudo.
Foto: Ilustrativa/ Internet

Estudo do CNMP avaliou as condições de delegacias, policiais civis e detentos de todo o Brasil. No Ceará, apenas 14 unidades têm quantidade adequada de policiais.

Apenas 8,9% das delegacias do Ceará têm quantidade suficiente de servidores, conforme a publicação O Ministério Público e o Controle Externo da Atividade Policial, divulgada nesta segunda-feira (18) pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). O estudo mostra também que quase um terço das celas nas delegacias do estado têm condições péssimas.

Para viabilizar o estudo, o Ministério Público vistoriou 157 delegacias do Ceará. Em apenas 14 delas, há a quantidade adequada de policiais, conforme o estudo. Os dados são referentes ao segundo semestre de 2016.

A Secretaria de Segurança afirmou que "não se manifesta a respeito de dados ou estatísticas as quais não teve acesso à metodologia" e "não reconhece os dados divulgados".
Sobre o efetivo da Polícia Civil, a secretaria informou que o governador Camilo Santana anunciou na sexta-feira (15) a convocação de 730 policiais civis, sendo 476 inspetores, 201 escrivães e 53 delegados. "A previsão é que a nova turma seja formada e assuma os postos ainda no primeiro semestre de 2018", diz a pasta, em nota.

Quantidade de delegacias com nº suficiente de servidores

Para o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Ceará, Francisco Lucas, a baixa quantidade de policiais inviabiliza o trabalho de investigação da Polícia Civil. "No Ceará são 3,2 mil policiais para uma população de quase 9 milhões de pessoas. É o menor efetivo proporcional do Brasil. E esse policial está fora de sua função, ele está custodiando preso em vez de investigar."
Segundo Lucas, as más condições de trabalho da Polícia Civil do Ceará se refletem no crescimento da atuação de facções criminosas. "Só o [Batalhão de policiamento do] Raio, com todo o respeito à PM, não é suficiente para atingir as chefias de facção, é preciso de uma investigação aprofundada para prender os líderes", afirma.

O estudo mostra também que:

21% das delegacias do Ceará têm plantão ininterrupto
- 29% há presença do delegado nos plantões policiais é por meio de sobreaviso
- Houve mortes de internos em duas delegacias do estado
- Em 67% das delegacias há inquéritos policiais em tramitação há mais de dois anos
- Houve fuga em 7 de 101 delegacias vistoriadas

Condições das celas

Condições das celas de custódia nas delegacias do Ceará
O estudo do Ministério Público mostrou também as condições das celas nas delegacias de Polícia Civil do Ceará. Conforme o estudo, 26,7% delas estão em condições péssimas. A maioria delas foram avaliadas como regular (32%) ou bom (36%). Apenas 4% delas foram consideradas ótimas.

Para o presidente do sindicato dos policiais, o ideal é que as delegacias sequer tenham celas de custódia. "O policial civil do Ceará, hoje, em vez de estar investigando, ele está custodiando preso. Não é só uma questão de melhorar a estrutura da delegacia, é dar ao policial a atribuição que é estabelecida em lei", afirma Francisco Lucas.

 

 

Fonte: TV Jaguar/ G1-CE

Comentários 0

Para comentar o internauta precisa está cadastrado e logado.

LOGAR CADASTRAR

“Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.”

Veja também