TV Jaguar

Postado em 20/02/2018 às 18:00:00

compartilhar

Grupo Betânia vem conquistando clientes estando entre as maiores no processamento de bebidas lácteas do nordeste

Grupo Betânia vem conquistando clientes estando entre as maiores no processamento de bebidas lácteas do nordeste

Essa conquista começou há mais de 40 anos, quando o pioneiro Luiz prata girão criou a empresa de beneficiamento de leite Betânia, um dos principais diferenciais para o sucesso da referida empresa é manter uma relação direta com o produtor, nesse escambo, onde, a moeda principal é o leite, Girão conseguiu manter aquecido o mercado produtor de leite na região, na prática o escambo consiste em comprar vacas leiteiras e pagar com leite produzido por elas, essa relação de negócio, tornou Luizinho Girão em um dos maiores incentivadores da produção leiteira do Nordeste brasileiro, hoje o grupo Betânia mantém a mesma relação próxima de seus parceiros, porém, ampliada, inclusive viabilizando a compra de equipamentos modernos como ordenhadeira mecânica e o produtor paga o equipamento com a “moeda” leite.

Mesmo depois de seis anos de estiagem, a Betânia não se distanciou daqueles que produz a matéria-prima para sua indústria, com a chegada das chuvas o grupo buscou parcerias, viabilizando Um Dia de Campo na fazenda Sávio Rebouças em Morada Nova, A gleba possui 88 hectare, dessas, 55 são irrigáveis, onde, o Senhor Rebouças com seu plantel de 34 vacas em lactação, consegue entregar no laticínio 700 litros de leite dia, alcançando uma média de produção de 21 litros de leite por vacaria, considerada uma produtividade excelente para área de sequeiro, todavia, uma das preocupações recorrente é com os oito meses de estiagem, para suplantar essa intempérie, o produtor com os parceiros buscam alternativa viáveis e garantir renda.

 Orientado pelos técnicos a produzir e fazer silagem como reserva estratégica, o produtor Rebouças recebeu em sua propriedade alunos acadêmicos de ciências agropecuário, produtores de 10 cidades da região do Vale do Jaguaribe Sertão Central, Empresas fornecedoras de insumos, EMATERCE, SDA, onde, foi apresentado um cultivo de sorgo forrageiro em área de sequeiro, a cultivar oriunda da Embrapa, garante cerca de 48 toneladas de massa verde por hectares.

Segundo afirmação dos técnicos e consultores que conduziram o “Dia de Campo Betânia” o produto final terá um custo aproximado de R$ 0,06 (seis centavos), por quilo, o investimento será de r$ 2.600,00 (dois mil e seiscentos reais), com uma receita bruta de r$ 7.200,00 (sete mil e duzentos reais), e receita líquida de r$ 4.590,00 (quatro mil quinhentos e noventa reais), portanto, é um Bom Negócio do ponto de vista técnico e econômico produzir sorgo forrageiro para silagem.

O produtor Auri Rebouças, para recepcionar os visitantes nesse intercâmbio, contou com os seguintes parceiros: Grupo Betânia; Terra Fértil; Cargill; Governo do Estado do Ceará; EMATERCE; TV Jaguar e Fazenda Sávio Rebouças.

 

 

 

Fonte: Tv Jaguar / MarFreitas.

Comentários 0

Para comentar o internauta precisa está cadastrado e logado.

LOGAR CADASTRAR

“Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.”

Veja também