TV Jaguar

Postado em 24/02/2019 às 10:00:00

compartilhar

Artesãs de Jaguaribe fabricam peças para escola de samba do Rio

Artesãs de Jaguaribe fabricam peças para escola de samba do Rio

As artistas das localidades de Mapuá, Feiticeiro e Fechado confeccionaram, ao todo, 400 peças para a agremiação União da Ilha do Governador. O grupo também está fabricando fardamento para um restaurante do Texas, nos EUA. 

Em várias localidades rurais do Município de Jaguaribe, no sertão cearense, há uma cena comum: grupo de mulheres sentadas nas calçadas das casas ou no meio das salas dedicadas à produção da renda de filé. O artesanato conquistou mercado externo, chegou a outros estados e países e despertou a atenção de produtores culturais.

A novidade é que no Carnaval deste ano, peças confeccionadas por artesãs locais vão integrar o figurino de passistas da ala 26 da Escola de Samba União da Ilha do Governador, no desfile da Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro. A temática do enredo da escola é "Um pedaço do Rio, onde brilha o sol e o sorriso do Ceará".

O carnavalesco da Escola de Samba da Ilha do Governador, Severo Luzardo, ficou encantado com o artesanato jaguaribano. "No desfile, mãos dos cearenses estarão presentes e um exemplo é o melhor bordado de filé, que é de Jaguaribe", pontuou. "Fui até lá, fiz uma reunião com o prefeito e com as associações de artesanato e deu certo", detalha.

Luzardo explicou que queria fazer uma ala com a renda de filé, mas não tinha como pagar para 100 fantasias. Diante das restrições financeiras, surgiu a ideia da parceria. "Se vocês bordarem, vai pra avenida o bordado autêntico e deu certo". Além das peças de renda de filé, o artesanato de rendeiras cearenses e as peças de couro de Espedito Seleiro, de Nova Olinda, também compõem o figurino da escola. 

Surgimento

A descoberta da renda de filé ocorreu por acaso. Em uma reunião em Fortaleza, com Severo Luzardo que fazia a pesquisa sobre o Ceará, o secretário de Turismo de Jaguaribe, André Siqueira, estava presente e indicou a produção artesanal local. "O carnavalesco visitou as localidades e ficou encantado com o que viu", contou o diretor de Cultura do Município, Michelsen Diógenes.

As artesãs das localidades de Mapuá, Feiticeiro e Fechado confeccionaram 100 peças semelhantes a uma toalha redonda, uma espécie de manto, que vai cair sobre a fantasia dos passistas, e mais 300 círculos de renda de filé que serão usados sobre a cabeça. "Esperamos que essa divulgação abra as portas ainda mais para o nosso artesanato e nos dê maior visibilidade", disse Diógenes.

A iniciativa já está abrindo novos caminhos. Por causa da divulgação da renda de filé no desfile do Carnaval carioca, compradores já entraram em contato com o município e grupos de associação em busca de adquirir peças. "Temos um artesanato forte, bonito, que vai crescer", pontou Diógenes. "Queremos ter uma avenida aberta de boas vendas".

Alcirene Campos, coordenadora de grupo de artesanato no Sítio Fechado, lembrou que há mais 40 anos as mulheres da comunidade produzem a renda de filé que aprenderam com as mães. 

As artesãs mostram alegria e estão satisfeitas com a mostra das peças no desfile de Carnaval no Rio de Janeiro. A artesã Claísa Dantas, presidente da Associação de Artesãs do Sítio Fechado, zona rural de Jaguaribe, frisou que a partir da formação do grupo houve melhoria nas vendas. "As nossas peças são reconhecidas e a renda das famílias melhorou". A venda é feita por encomenda e o valor das peças varia de R$ 15 a R$ 1.000, dependendo do tamanho e do tempo gasto na confecção. Consultores do Sebrae desenvolvem modelos, coleções, segundo tendências do mercado.

A artesã Lúcia Ferreira é também promotora de venda das peças. "Agora está ficando mais fácil vender porque o nosso artesanato está ficando mais conhecido", diz. Atualmente, o grupo de artesãs do Sítio Fechado também confecciona fardamento para um restaurante do Texas, nos Estados Unidos.

 

 

Fonte: Tv Jaguar / Diário do Nordeste

Comentários 0

Para comentar o internauta precisa está cadastrado e logado.

LOGAR CADASTRAR

“Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.”

Veja também