TV Jaguar

Postado em 02/09/2019 às 06:00:00

compartilhar

REMÉDIOS OU VENENOS?

REMÉDIOS OU VENENOS?

REMEDIAR é tratar ou aliviar com remédio; uma tentativa de cura. PRECAVER é pôr-se de sobreaviso quanto a algo; acautelar-se antecipadamente, um ato de defesa própria que todo ser humano deveria priorizar! Infelizmente a maioria de nós prefere o remediar ao precaver-se que tão mais fácil e consequente. Nessa nossa opção é que arcamos com pesadas implicações para o nosso frágil organismo.

Ao comprarmos qualquer remédio, mesmo os que prescritos pelos nossos médicos de confiança, estamos correndo sérios riscos se não ficarmos atentos. Em todos os produtos em torno de 10% do conteúdo de suas BULAS descrevem possíveis “BENEFÍCIOS” que aquele remédio poderá nos trazer se seguido à risca a prescrição. Porém, 90% do conteúdo, de cada das bulas, entre outras desnecessidades, alertam-nos dos possíveis RISCOS secundários que todos eles acarretam. Pasmem, mas há remédios que destinados ao tratamento de doenças diversas que podem fazer mal ao coração, fígado etc., e acarretar outras doenças ou o agravamento delas.

Quanta incongruência, mas é verdade - REMÉDIOS QUE ENQUANTO “CURAM”, MATAM! Então, o que fazer? Essa opção é SUA tão somente: PRECAVER-SE ou REMEDIAR-SE sem plena confiança de que aqueles medicamentos tão difundidos pela indústria farmacêutica, farmácias e a mídia podem realmente acarretar uma recuperação desejada ou se males maiores podem se lhes causar.

Anunciam-se remédios (em especial os manufaturados) que dizer curar TODOS os tipos de doenças – do coração, próstata, diabetes, rins, fígado, vista, osteoporose, arterioscleroses e tantos mais... ENGANAÇÕES tão somente e sem a competente comprovação científica e fiscalização dos órgãos públicos que sistematicamente descuram em detrimento da Sociedade que prossegue iludida, em especial os incautos e de menor poder aquisitivo.

É intrigante como a indústria farmacêutica se locupleta da venda de seus produtos e sem maiores cuidados para com os pacientes destinatários, seres humanos e de qualquer faixa etária. É a ânsia de ganhar, ganhar e ganhar sem comedimentos cabíveis e os usuários que arquem além dos custos monetários, também as consequências de saúde às quais estarão expostos. Enquanto isso os órgão competentes (ANVISA e outros) para vigiar, fiscalizar, PROIBIR, estão quase que inertes, omissos e sem impor o rigor cabido na liberação desses produtos enganosos. Não só basta deixar claro e alertar sobre os sérios explícitos nas bulas, mas INTERDITAR suas vendas doa a quem doer.

Posto isto, o mais recomendável é, de forma NATURAL, suprirmos nossas necessidades de nutrição com produtos NATURAIS e não medicamentosos. Por exemplo: vitaminas! As farmácias nos empurram de qualquer forma vitaminas quaisquer, mas de comprovada ineficácia ao organismo além do elevado custo e suas consequências medicamentosas já mencionadas. Evite o mais possível viciar-se em remédios para quaisquer dos seus males. Uma simples dor de cabeça não é razão para já coremos as farmácias sem primeiro verificar o que foi que motivou esse simples ALERTA do organismo que apenas nos afirma que algo não vai bem e para que cuidemos e evitemos futuramente.

PREVINA-SE EM LUGAR DE OPTAR POR SE REMEDIAR!!!

 

 

 

 

Fonte: Tv Jaguar / José HILDEBERTO Jamacaru de AQUINO

Comentários 0

Para comentar o internauta precisa está cadastrado e logado.

LOGAR CADASTRAR

“Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.”

Veja também