TV Jaguar

Postado em 21/11/2019 às 14:55:00

compartilhar

Vaqueiros mantém viva a cultura dos Encourados movidos pela Fé na 1ª Cavalgada Intermunicipal à Canindé.

Vaqueiros mantém viva a cultura dos Encourados movidos pela Fé na 1ª Cavalgada Intermunicipal à Canindé.

O nordeste brasileiro é reconhecido pela bravura de seus homens e mulheres que trabalham na lida diária cuidando do gado, com muita dificuldade, enfrentando às intempéries do clima semiárido. A partir do século XVII chegaram ao Ceará os primeiros rebanhos bovinos, proveniente dos Estados de Pernambuco e Rio Grande do Norte e estes animais foram acomodados às margens do Rio Jaguaribe, marcando assim, o início da atividade vaqueira na região jaguaribana, na época o produto bovino de maior valor econômico era o couro, por essa razão o abate era feito de forma muito acanhada e geralmente a carne se perdia por não ter demanda, pois, a região era pouco povoada, foi aí que surgiram as primeiras oficinas de charqueado, onde, se desenvolveu a técnica da produção da carne de charque, segundo asseguram os historiadores (Leandro Flávio Restrepo Frota e Leopoldo Gondim Neto), foi nessa época que surgiu o charqueado no Brasil, á partir do estado do Ceará, mais precisamente às margens do Rio Jaguaribe, todavia, em 1717, 1718, 1719 registrou-se 3 anos de longo período de seca, esse fenômeno climático dizimou todo o rebanho da região, por essa razão os irmãos Pinto Martins, migraram para o Rio Grande do Sul e com eles levando a técnica da produção de carne de sol.

O charque até hoje é sucesso na culinária brasileira e internacional.
Esse relato histórico é para fundamentar a Primeira Cavalgada Intermunicipal envolvendo os municípios de: Tabuleiro do Norte, São João do Jaguaribe, Morada Nova, Milhã, Maranguape, Quixadá, Quixeramobim, Ibicuitinga, Ibaretama e Canindé, a saída aconteceu no dia 19 de novembro da cidade de Tabuleiro do Norte, com percurso aproximado de 220 km, a previsão de chegada em Canindé, é para o dia 23 de novembro.

O trajeto é bastante hostil tendo em vista o período que estamos vivendo, em plena seca, com o sol causticante e a escassez dágua, os Vaqueiros estão percorrendo em média 50, 60 km diários e vão se arranchando em fazendas e sítios localizadas ao longo do trajeto, lembrando que no sábado 23, a noite haverá uma manifestação cultural e no domingo 24, os Vaqueiros renovarão a Fé ao serem abençoados por São Francisco de Assis durante celebração, após a missa embarcaram com seus animais regressando às suas freguesias de origem.

 

 

Fonte: Tv Jaguar / Marcos Freitas

Comentários 0

Para comentar o internauta precisa está cadastrado e logado.

LOGAR CADASTRAR

“Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.”

Veja também