TV Jaguar

Postado em 11/02/2020 às 07:30:00

compartilhar

Governo do Ceará, quer reajuste salarial do policial aprovado até o Carnaval

Governo do Ceará, quer reajuste salarial do policial aprovado até o Carnaval

Ocorreu ontem (10) a primeira reunião entre o Governo do Estado e representantes da polícia sobre a proposta de reajuste da categoria a ser apresentada ao Legislativo estadual. Conforme o deputado estadual Soldado Noelio (Pros), que atua como voz dos policiais militares na Assembleia Legislativa do Ceará (Alece), comentou que, para que seja cumprido o prazo inicialmente estipulado pelo poder público, a negociação tem que encerrar até o início da próxima semana.

O governador Camilo Santana (PT) havia declarado que a intenção era enviar a proposta à Assembleia e aprová-la ainda no mês de fevereiro, para que em março o reajuste já pudesse ser aplicado para os profissionais. Com a indefinição resultante da polêmica instaurada, a partir da reação dos militares à proposta que seria apresentada, o prazo fica mais apertado, uma vez que o projeto, que teria sido enviado na última semana, também não deve chegar ao Parlamento esta semana.

 Ao fim da reunião de ontem, foi marcada uma nova reunião para esta quinta-feira (13), quando serão trabalhadas de forma mais específica propostas dentro da capacidade de aplicação do Estado hoje. As negociações serão guiadas pelos dados apresentados pelo governo estadual, levando em conta a situação fiscal do Ceará.

A reunião desta segunda-feira havia sido marcada na semana anterior, após repercussão negativa sobre o ajuste salarial proposto pelo governo. A proposta, que não havia chegado a ser apresentada pelo Governo do Estado, chegou ao conhecimento dos militares, que ficaram insatisfeitos com os valores, alguns dos quais representavam perda real, considerando a inflação – com as mudanças atingindo negativamente, de modo particular, os soldados e os agentes mais baixos nas hierarquias.

Conforme o titular da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), André Costa, tudo é discutível. Ele enfatiza a importância de levar em conta, além das demandas dos policiais, a situação fiscal do Estado do Ceará, ressaltando que acredita em uma solução em que esses dois pesos estejam devidamente equilibrados. André Costa não foi o único secretário de governo presente na primeira reunião realizada esta semana entre as partes, tendo participado também Fernanda Pacobahyba (Fazenda) e Flávio Jucá (Planejamento).

Embates

O reajuste salarial vem sendo pleiteado por parte dos agentes há alguns meses, muitas vezes acompanhado de críticas à atual gestão estadual. Noelio, na última semana, no auge da crise, considerou irresponsável o modo como Camilo e André Costa vinham tocando a situação, com pouco diálogo com a categoria.

No lado da base governista, o argumento comumente usado é articular que o Ceará tem feito investimentos expressivos na área da segurança ao longo dos últimos anos, inclusive nos custos de pessoal, com o aumento no número do efetivo. “O Ceará, ao longo de seis anos, está fazendo uma mudança radical para melhorar as forças de segurança. O Governo do Estado é um ponto fora da curva. Nenhum outro busca melhorias como o governador Camilo Santana”, disse o deputado Acrísio Sena (PT), em um pronunciamento na Assembleia Legislativa.

Já Élcio Batista, secretário da Casa Civil, aponta que algumas das informações circulando nas redes sobre os salários dos militares, se não estão erradas, no mínimo distorcem a situação, omitindo dados importantes. Segundo ele, a remuneração de R$ 3.300 dos soldados, conforme amplamente divulgada, vale para uma minoria pequena de militares, uma vez que esse é o valor mínimo que o profissional recebe no Estado. Enquanto apenas 33 soldados recebem menos de R$ 3.500, por exemplo, mais de 3,6 mil recebem entre R$ 3.800 e R$ 4.000.

 

 

Fonte: Tv Jaguar / ASCOM

Comentários 0

Para comentar o internauta precisa está cadastrado e logado.

LOGAR CADASTRAR

“Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.”

Veja também