TV Jaguar

Postado em 24/09/2016 às 06:00:00

compartilhar

Vereadores de Morada Nova debateram em sessão plenária direitos dos servidores.

Vereadores de Morada Nova debateram em sessão plenária direitos dos servidores.

Na sexta-feira 23 de setembro de 2016, aconteceu a 9ª sessão ordinária da Câmara Municipal de Morada Nova, sob a presidência do vereador José Everardo Maia. Na mesma, as cadeiras do auditório foram totalmente tomadas por professores da rede municipal, de educação. Os servidores solicitaram usar da palavra na tribuna para cobrar da administração municipal, a aplicação da lei que reajustou o salário da categoria desde agosto de 2016, mas que ainda não foi pago. Antes do início da sessão, o presidente explicou que os mesmos não poderiam se pronunciar na tribuna, pois os mesmos não haviam solicitado dentro do prazo para a solicitação de uso daquele espaço, como determina o regimento interno da Casa.

Abrindo o grande experiente, foi convidado a se pronunciar o vereador Hilmar Sérgio, que explicou aos presentes que a presença dos servidores era para cobrar a aplicação na íntegra de uma lei municipal que consta reajuste salarial aos professores e não foi aplicada até o momento.

Hilmar lembrou que os servidores contratados aguentam calados, mas os professores concursados não têm o que temer na hora de cobrarem seus direitos negados pelo executivo municipal. Ele observou a fortaleza do sindicato dos servidores por sua unidade na defesa dos direitos e o respeito aos servidores. Em aparte, reforçaram as palavras de Hilmar, os colegas, Jorge Brito, Cavalcante Júnior, Jane Martins, José Everardo Maia, Roberto Meneses e Rose Meyre. Para encerrar, o vereador enfatizou que uma mesa de negociação pode ser a solução para o problema.

O vereador Cavalcante Júnior, disse que ficou surpreso pela lotação da Casa, explicando que o debate a respeito do posicionamento da gestão perante aos protestos, já foi discutido em outras sessões, sendo que o movimento dos servidores é legítimo e deve ser visto com bons olhos pelos vereadores e pela sociedade, já que a gestão faz pouco caso das cobranças desses trabalhadores. No final se solidarizou com os servidores que mesmo amparados por lei, tem direitos negados pelo executivo municipal que comete um crime contra os servidores e os munícipes de Morada Nova.

O vereador Cláudio Maroca, frisou que mesmo sendo a Casa do povo morada novense e ficando a Câmara de vereadores a menos de dois metros da Prefeitura municipal, nem os requerimentos de serviços e pequenas obras de benefício à sociedade são atendidas pelo executivo, e o desprezo que os servidores estão sentindo hoje, é o mesmo que o parlamento sofre durante os últimos anos.

O vereador José Brito, ressaltou que os servidores estão em prejuízo há muitos anos, sendo essa a razão para que o sindicato venha lutando em defesa da categoria, pedindo desde então, que fosse enviado um ofício ao Ministério Público, para que este exija da Prefeitura municipal o cumprimento das leis aprovadas pelo parlamento. Jorge observou que, se não fosse o concurso público, a Prefeitura estava cheia de servidores sem poder cobrar seus direitos. Quanto ao descaso da administração, que deveria ter reajustado o salário dos professores, o parlamento também tem o dever de estar presente para colaborar com os trabalhadores.

O vereador Dr. Nacélio, se disse triste por ver que em certos momentos políticos, colegas se posicionem como o melhor dentre os outros. Sobre as cobranças dos professores, Dr. Nacélio, que é o líder do prefeito na Câmara, disse ter conversado com o secretário Mário Cleto. O mesmo afirmou que o cronograma de pagamento já foi estabelecido, sendo que em outubro será pago a diferença de setembro e em novembro a diferença de agosto, deixando antes do fim dos anos todos os servidores beneficiados com a lei em dia.

 

 

Fonte: Tv Jaguar / Arnaldo Freitas

Comentários 0

Para comentar o internauta precisa está cadastrado e logado.

LOGAR CADASTRAR

“Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.”

Veja também