TV Jaguar

Postado em 13/01/2017 às 16:00:00

compartilhar

Equipe do prefeito Zé Maria; um misto de técnicos e políticos, de jovens estreantes e velhos conhecidos.

Equipe do prefeito Zé Maria; um misto de técnicos e políticos, de jovens estreantes e velhos conhecidos.

Escolhidos os nomes que irão compor a nova gestão de Limoeiro, já podemos tecer as primeiras análises sobre o perfil, os limites e as possibilidades do novo mandato que se inicia. A equipe é um misto de técnicos e políticos, de jovens estreantes e velhos conhecidos e se dividem, do ponto de vista da origem política, em 4 núcleos: os indicados pela família Lucena, pelo vice João Dilmar, pelo grupo liderado por Chico Baltazar (vereador e secretario) e os técnicos (escolhidos estritamente pelo perfil e histórico profissional). A família Lucena indicou os nomes do contador Antônio Jerrivan para a secretaria de finanças, do ex-vereador Valdo Lemos para o SAAE e da ex-prefeita Arivan Lucena para a Assistência Social, controlando assim a pasta que detém o maior volume de recursos flexíveis (o SAAE), a que controla todos os recursos da gestão (finanças) e a pasta de maior atividade política direta (a assistência social). Além desses nomes, circula também como certa a indicação da jovem advogada Juliana Lucena (filha mais nova de Zé Maria e Arivan) para a chefia de gabinete, papel semelhante ao que exerceu durante a campanha.

Coube ao ex-prefeito e atual vice João Dilmar as indicações do Dr. Eriano e Dr. Domingos Eduardo para a procuradoria e sub-procuradoria, respectivamente, bem como do retorno do Professor José Lima para a secretaria de educação, além da indicação do vereador Eliezer Lins para a liderança do prefeito na Câmara municipal.

Já ao grupo político liderado por Chico Baltazar coube a indicação do próprio Chico para a secretaria de obras, que teve o DEMUT e a guarda municipal agregados a sua estrutura, e que ficam sob a responsabilidade de Hilário (ex-funcionário do DETRAN) e do suplente de vereador sargento Arimateia, respectivamente. O grupo também indicou o nome do jovem advogado Ederson Castro para a secretaria de administração (a grande surpresa da lista), Pimpão (como é conhecido) é uma figura ascendente no cenário político atual e terá o desafio de comandar, logo em sua estreia no executivo, a pasta de maior pressão e concentração de desgastes da gestão passada em uma conjuntura atual de, ainda maior, escassez de recursos, ou seja, foi dado ao mais jovem o maior dos problemas.

Já as indicações de perfil estritamente técnico foram as de Sandra Lira para a saúde (já empossada), de Renato Remígio para a cultura e ainda são aguardadas as confirmações dos nomes que comandarão as pastas de desenvolvimento econômico e recursos hídricos, que será liderada por Joaci do DNOCS ou um nome ligado ao sistema “S”, e a pasta da comunicação onde circula como certa a indicação do premiado jornalista Melquiades Junior.

Além desses nomes e desses núcleos de indicação, fecha a lista de secretários o jovem vereador João Filho (PROS) que irá comandar a secretaria de esportes, e que junto com a indicação de Chico Baltazar para Obras, abrem vagas para o retorno a Câmara dos suplentes Gilvan Moura e Mauro Costa, ambos do PSD.

O QUE ESPERAR?

Do ponto de vista político, o atual prefeito Zé Maria (PMDB) conseguiu contemplar a contento todas as forças políticas que lhe asseguraram a vitória no pleito passado, feito também alcançado por Paulo Duarte na montagem de sua equipe em 2013.

A lista de Zé Maria é amplamente mais técnica do que a de Paulo, porém ainda composta por uma parcela significativa de indicações exclusivamente políticas, oriundas do xadrez das composições eleitorais. E isso é ruim. Basta observar o histórico da última gestão da cidade e analisarmos o impacto desse tipo de indicação nessa gestão.

Até quando selecionamos o “indicado político” que teve a melhor performance: falo de Laurinho, observamos que este, mesmo mantendo um perfil “trabalhador” e disciplinado, além da boa índole, não conseguiu construir um legado de obras e ações que repercutissem além do seu tempo, isso fruto da falta de visão de futuro, de visão de médio prazo, de grandes projetos orientadores, deixando com que a microdinâmica do cotidiano da pasta “engolisse” esse gestor.

Nos casos mais comuns, este tipo de indicação (estritamente política) tem como resultado secretários “perdidos” na vaidade do cargo ou consumidos pela nefasta politicagem. Cabe então ao prefeito, definir e assegurar essa visão de futuro em sua gestão, pactuando metas para cada área e zelando e acompanhado a sua execução. Este colunista deseja a nova equipe e ao prefeito o mais sincero desejo de boa sorte.

Por: Marcelo Castro - Sociólogo

 

 

Fonte: Tv Jaguar

Comentários 0

Para comentar o internauta precisa está cadastrado e logado.

LOGAR CADASTRAR

“Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.”

Veja também