TV Jaguar

Postado em 03/08/2016 às 16:00:00

compartilhar

COGERH realizou nova reunião para debater a distribuição de água.

COGERH realizou nova reunião para debater a distribuição de água.
Plenaria do comitê de Bacias - Credito de Nilo Leite

O encontro promovido pelo Comitê de Bacias do Baixo Jaguaribe aconteceu na quarta-feira 03 de agosto, no auditório do IFCE Limoeiro e reuniu representantes de diversas instituições, pequenos produtores e prefeitos de vários municípios do baixo Jaguaribe dependentes do sistema de abastecimento de água gerido pela COGERH, que vai desde o açudo Orós até à região da Sucurujuba, no município de Russas. A reunião esteve bastante acalorada, em consequência da exposição das propostas apresentadas.

O prefeito Bessa, da cidade de Quixeré esteve presente no encontro. Ele enalteceu o trabalho que tem sido desenvolvido pelo Comitê de Bacias, com vistas a promover um debate que possa solucionar o problema, mas foi enfático em cobrar ações enérgicas por parte da COGERH.

Na avaliação do gestor quixereense, mesmo diante dos vários encontros que já foram realizados para discutir o tema, nada, ou quase nada avançou.

Dr. Tancredo Ulisses Jr., gerente regional da CAGECE considerou como sendo de alta relevância, o encontro promovido pelo Comitê de Bacias do baixo e médio Jaguaribe com o intuito de debater a vasão de água a ser disponibilizada para os municípios que compõem o pólo. De acordo com Tancredo várias propostas foram apresentadas, votadas e deliberadas pelos membros do Comitê. Quanto ao acirramento dos debates, ele considerou normal, assim como é de praxe acontecer em grandes debates. 

A prefeita Maria Tereza, da cidade de Jaguaruana, salientou que um dos objetivos da sua presença no fórum promovido pelo Comitê de Bacias é exigir da COGERH, que os acordos firmados na reunião anterior fossem cumpridos. A prefeita deseja que a cota de 0,5% do volume de água prometido pelo órgão seja distribuída no leito do rio Jaguaribe para os municípios que encontram-se abaixo da comunidade de Sucurujuba, na cidade de Russas. Conforme mencionou a prefeita, desde novembro de 2015, este curso do rio encontra-se sem água. Maria Tereza espera que as soluções possam aparecer de imediato, já que o tema em discussão é a disponibilização de água potável para o consumo humano.

Representando os assentados do entorno do açude do Figueiredo, Damiana Bruno expressou a situação em que vive os moradores que habitam nas proximidades da barragem, recentemente construída. Ela revelou que mesmo diante dos argumentos do governo estadual dando conta de que nenhum dos municípios do estado do Ceará estão em estado de calamidade, a cidade de Iracema não tem água para nada, e Potiretama está sendo abastecida pela barragem do Figueiredo. Segundo ela, além de está operando no limite, a água fornecida não é de qualidade, já que no local aonde foi construída a barragem está cheia de foças, além de que a barragem está sobre um antigo cemitério, onde existem mais de 100 restos mortais. 

 

 

Fonte: Tv Jaguar / Nilo Leite

Comentários 0

Para comentar o internauta precisa está cadastrado e logado.

LOGAR CADASTRAR

“Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.”

Veja também