TV Jaguar

Postado em 28/12/2018 às 12:30:00

compartilhar

VANGUARDA LITERÁRIA. PITOMBEIRA O PADRE-MESTRE.

VANGUARDA LITERÁRIA. PITOMBEIRA O PADRE-MESTRE.

“ É assim que se deve começar: com entusiasmo, estudo e dedicação!”.

Essa foi a resposta ouvida por um jovem, que, aos 17 anos de idade, ministrava a sua primeira aula ( de Português, no Curso de Admissão ao Ginásio ), no Colégio Diocesano Padre Anchieta, quando interrogou o seu Mestre sobre a sua atuação carregada de ansiedade. São decorridos mais de cinquenta anos ! O adolescente em quem aquele sacerdote havia inoculado o “vírus “ do amor ao magistério continuou a sua jornada. Foi ganhar outras plagas. Graduou-se em Medicina com o objetivo de ser médico de crianças e...professor.

Principiou no solo bandeirante, exercendo o Magistério Universitário, através de sucessivos concursos e, após concluir as suas Teses de Mestrado e Doutorado, conquistou, a duras penas, com sacrifício pessoal e familiar, a láurea de Prof. Titular de Pediatria e Adolescência em uma Escola Médica no Sul do Brasil. Partiu para outras plagas. Deu aulas na Sorbonne (França), em Berlim e Colônia ( Alemanha).

O Padre- Mestre permaneceu no seu duro e nobre mister, no ensolarado interior do Ceará, lá onde os legendários rios Jaguaribe e Banabuiu se abraçam, para, depois, unidos, inseparáveis, jogarem-se nos braços do mar, nas proximidades de Aracati. O Mestre de mãos abençoadas ficou formando gerações, cumprindo o seu destino na nossa querida cidade de Limoeiro do Norte ,a Princesa do Jaguaribe. Chega agora ao seu nonagenário dedicado ao próximo, ao magistério e ao BEM.

O jovem de mais meio século atrás é esse modesto escriba. O Padre- Mestre ( como assim o cognominou, com muita felicidade, o Monsenhor João Olímpio Castelo Branco no seu elogiado livro: “O Limoeiro da Igreja” ) responsável direto pela formação intelectual e moral de inúmeros jovens da Terra do Sol chama-se : FRANCISCO DE ASSIS PITOMBEIRA.

PADRE PITOMBEIRA ! Amigo, incentivador, entusiasta pela causa da Educação na terra que o viu nascer, só teve um ideal: servir, formar, conceder medalhas de incentivo, enfim, realizar-se nas realizações dos seus inúmeros discípulos ! Humano, extremamente rápido nos movimentos e no raciocínio, severo no que diz respeito às questões do comportamento e da moral, senhor de vasta cultura, é um dos GRANDES

HOMENS que fizeram e fazem a História de Limoeiro do Norte, a nossa terra idolatrada e inesquecível..

O PADRE-MESTRE pontifica nas nossas mentes e nos nossos corações, como o exemplo a ser seguido. Conosco ficarão as suas lições de humanismo, de que a pena investir no HOMEM e crer nas suas potencialidades.

Ao PADRE PITOMBEIRA, a quem tanto devemos, que a brisa da saudade seja portadora da nossa eterna gratidão. A esse SER VERDADEIRO, que honra o gênero humano, oferecemos humildemente as flores indestrutíveis do nosso sentimento fraterno !

PADRE PITOMBEIRA estará sempre PRESENTE nas nossas existências:

Na verdade que constrói,

Na altivez dos sentimentos puros,

Na palavra forte que emancipa,

Nos caminhos duramente construídos,

Na causa sacrossanta,

No verbo que perdoa e se levanta!

Ave, PADRE-MESTRE !

* O autor é Médico, Prof. Univ.Mestre e Doutor pela USP.Magister ad Honorem da Universidade de Bolonha ( Itália) e Professor Convidado das Universidades de Colônia, Munique e Berlim ( Alemanha) e da Universidade Paris V –Sorbonne ( França).

PADRE PITOMBEIRA - MEU MESTRE !

* José Valdez de Castro Moura.

Há seres que, na sua passagem pelo nosso planeta, têm o destino dos pássaros, como escreveu Manuel Bandeira, que é permanecer entre os iguais, espargindo o bom exemplo da fraternidade, revelando o primado inconteste dos sentimentos sobre as paixões, do espírito eterno sobre a matéria .

Procurando nas dobras do tempo, vou encontrar um desses seres privilegiados, meu incentivador maior: PADRE PITOMBEIRA, educador emérito, espírito nobre que, em mim, despertou o ideal pelo Magistério e pela Ciência, razões fortes do meu viver.

Verdadeiro Varão de Plutarco, “Animal Religioso”( no dizer do filósofo Shopenhauer) é o responsável direto pela formação de inúmeros jovens que, ao longo de mais de quatro décadas, passaram pelo nosso Colégio Diocesano Pe. Anchieta , da nossa querida Princesa do Jaguaribe.

Para mim, é um POETA, porque traz consigo a essência da mensagem divina (assim era, há séculos, a concepção dos fenícios referente ao Poeta), ensinando ao próximo, com humildade:

Põe mais luz em tua estrada,

mais fé em tua oração,

e, prossegue a caminhada

da justiça e do perdão !

Hoje, transcorridos tantos anos de intensa dedicação ao próximo, cônscio de seu dever cumprido, como Paulo, o Apóstolo, MEU MESTE pode assim proferir: “Bonum Certamen certavi, Cursum consumavi et Fidem servavi “!.

Padre Pitombeira, sempre presente na minha existência:

Nos caminhos duramente construídos,

No exemplo forte que dignifica,

No Verbo que perdoa e se levanta !

Deo Gratias !

* Ex- aluno do Padre Pitombeira, Doutor pela U.S.P., Prof. Titular de Pediatria e Adolescência da Universidade de Taubaté ( S.P.). É o atual Presidente Estadual da União Brasileira de Trovadores ( U.B.T.) e da Academia Pindamonhangabense de Letras. Membro da União Brasileira de Escritores (U.B.E.) e da Sociedade Brasileira de Escritores Médicos (SOBRAMES).

Pindamonhangaba, 3 de fevereiro de 1999.

Meu caro Pe. Pitombeira,

Que Deus o guarde !

Com muita satisfação, remeto-lhe alguns exemplares do Jornal da Academia Pindamonhangabense de Letras que lhe presta uma humilde homenagem a qual se encontra muito aquém dos seus méritos. O NHEENGATU – MIRIM tem distribuição dirigida, sendo enviado para Academias de Letras e mais de duas centenas de personalidades literárias do Brasil e de Portugal, com quem mantenho correspondência nos últimos vinte e seis anos.

Mais uma vez, desejo registrar os meus agradecimentos sinceros pelo muito que contribuiu para a minha formação. Deus – Pai, com a Sua sabedoria infinita sabe que o “Padre – Mestre” balsamisou muitas feridas dos que encontrou caídos nas trilhas do mundo e, instilou, no coração de irmãos horizontalizados na angústia, a fé necessária para que se levantassem na condição de filhos de Deus.

Tomo a liberdade de mandar-lhe algumas trovas laureadas por esse Brasil afora. Em dezembro de 1998, completei a minha centésima premiação ( nos concursos nacionais de trovas), com esta, laureada nos Jogos Florais do Sesquicentenário de Pouso Alegre – M.G., cujo tema foi MUNDO:

Cante a paz, o amor profundo,

torne a vida mais risonha !

Sem mágoas, porque o mundo

não perdoa a quem não sonha...

Aqui, além das tarefas do Magistério, plantões ( não exerço a chamada “medicina comercial”) realizo um trabalho beneditino com jovens carentes e problemáticos (drogaditos, delinqüentes, grávidas precoces) além de levar-lhes a Trova, como estímulo às potencialidades, fazendo assim a tão decantada prevenção primordial em saúde. É um labor cansativo, porém gratificante ! Lembre-se que esse AMOR à Juventude, ao Magistério, à Ciência e às “Coisas da Alma”, foi em mim “inoculado” pelo seu exemplo edificante. Iniciaria tudo outra vez, apesar de ter poucos “adeptos”. Que importa? O essencial é a satisfação do dever cumprido perante o Pai, a Família e à Pátria.

Apreciaria saber que recebeu a minha correspondência, porque , nos últimos tempos , o correio tem sido muito displicente para comigo...

Aqui fica o fraternal e agradecido abraço do admirador inconteste:

Pindamonhangaba, 3 de fevereiro de 1998.

Minha estimada prima Luzanira,

Saúde e Paz !

Fiquei deveras emocionado ao receber o livro: “FRANCISCO DE ASSIS: O PITOMBEIRA”que tão gentilmente me enviou. As doces lágrimas da recordação de um tempo muito feliz, no meu Limoeiro querido, rolaram, a flux, pelo meu rosto sofrido e muitas vezes indormido.

Infelizmente as tarefas que se avolumam no meu cotidiano tornaram –me impossível estar presente ( nas festividades programadas para homenagear o “Padre – Mestre”). Agradeço a oportunidade que me concedeu de falar com o Padre Pitombeira naquela noite inesquecível.

Leio e releio os depoimentos contidos no valoroso livro . Você, CASTRO

da gema ( sincera, sem rodeios, características de uma personalidade marcante) desvelou-se como realmente é ao escrever sobre a excepcional figura do “Padre”.

Espero que, quando o destino assim o permitir ( talvez dê certo esse ano, pois recebi convite da Universidade Federal do Pará e da Fundação Joaquim Nabuco de

Recife para dar Conferências na minha Área de Pesquisa ( Adolescência) consiga ir a Limoeiro e faça o meu “batismo”no Clube da Bengala ( que nome sugestivo! ).

Estou enviando alguns exemplares do jornal da Academia que homenageia o nosso Acadêmico – Correspondente Pe. Pitombeira. Ele merece bem mais !

Sim, se você notar algum erro ( principalmente de digitação) perdoe-me. Já são três e meia da manhã, pois nas madrugadas insones, componho os meus versos, ponho em dia a correspondência, escrevendo ao correr da pena, como se diz.

Abraços a todos os amigos que perguntarem por mim, especialmente à querida prima Ivanira e ao Aécio. Não se esqueça de escrever um bilhetinho dizendo se recebeu a minha correspondência, pois o correio, por aqui, está falhando muito ( carta postada em Campinas –S.P. não chegar aqui, pode?).

Ao finalizar, desejo-lhe um venturoso – 99, e que continue sendo essa pessoa amiga, e sobretudo SINCERA ( a sua maior qualidade, se me permite essa confissão) estimada por quem é franco como eu procuro ser. Ë desnecessário dizer que a “casa é sua”. É só dizer: “Estou indo”.

Um apertado abraço do admirador de sempre:

Autoria *José Valdez de Castro Moura.

 

 

Fonte: Tv Jaguar

Comentários 0

Para comentar o internauta precisa está cadastrado e logado.

LOGAR CADASTRAR

“Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.”

Veja também